anselmolsm.org

Operacão Boa Viagem, parte 3

| Comments

Continuação do relato da viagem Pindamonhangaba, SP - Recife, PE realizada em Janeiro de 2009.

E vamos nós, Julho acabando e eu ainda não terminei isso =)

Trecho percorrido dia 2 de Janeiro de 2009: Macaé, RJ - Itabuna, BA. ~1100 km.

Macaé, RJ - Itabuna, BA
Macaé, RJ - Itabuna, BA

Dia 1 foi bem curto mas como já foi dito anteriormente foi uma forma ter uma margem de segurança, uma vez que a viagem de volta de meu pai estava marcada para a noite de domingo, dia 4.

Vista da Pousada Rocha, em Macaé
Vista da Pousada Rocha, em Macaé
O carro tomando um banho antes de seguir viagem
O carro tomando um banho antes de seguir viagem

Começando o dia, estréia do meu pai dirigindo na viagem.

Saindo de Macaé pudemos conhecer um pouco da cidade. Sinceramente fiquei decepcionado com o estado das ruas e avenidas da cidade, tendo em vista ser uma cidade que recebe grandes recursos por causa da atividade petrolífera na região. Se comparada com Paulínia, SP, que também tem atividades do ramo, Macaé parece estar bem mal adminstrada/cuidada. Não é a toa que acabou tema de reportagem na TV sobre os buracos nas vias.

Saimos da cidade e tomamos o rumo para voltar à BR101. Na estrada no caminho houve um pequeno susto, pois havia uma deformação na estrada que formou uma rampa… na hora pareceu que ia arrebentar com tudo de suspensão, amortecedores, mas felizmente ficou só no susto - Esqueci de citar mas houve episódio parecido na saída do Rio de Janeiro, outro buraco imenso numa via de acesso. Nem todos devem saber mas eu tenho um certo trauma por causa de um pequeno acidente que tive no começo de 2008, mas isso é outra história.

Pedágio em construção, parte das obras na BR-101
Pedágio em construção, parte das obras na BR-101

Voltamos à BR101, próxima cidade notável foi Campos dos Goytacazes, ainda no estado do Rio de Janeiro. A popular Campos dá nome à bacia que concentra atualmente grande parte da extração de petróleo no país. É nessa cidade que voltamos a encontrar o Rio Paraíba do Sul, já próximo do seu fim. Este é o mesmo rio que cruza Pindamonhangaba e que nos acompanhou por um bom pedaço seguindo a Rodovia Presidente Dutra (no trecho ainda no Vale do Paraíba ).

Na sequência, próximo à divisa com Espírito Santo, o aguardado momento de tirar foto da placa indicando a pequena Bom Jesus do Itabapoana, terra natal daminha namorada Priscila, que apesar de acharem que é carioca, é fluminense do interior do estado.

A placa de verdade ela perde, mas de Bom Jesus do Norte serve =)
A placa de verdade ela perde, mas de Bom Jesus do Norte serve =)

Chegando no Espírito Santo, acabaram os sinais de obras na pista. Aliás, mais para frente chegou a ser decepcionante o estado da rodovia, inclusive com a faixa pintada por algum sujeito que talvez estivesse com elevado teor alcoólico no sangue, conforme vídeo.

Optamos por seguir na BR101 - a alternativa seria a boa Rodovia do Sol que passa por Itapemirim, Piúma, Guarapari, até chegar a Vitória. Por causa do horário ficou um receio de que poderíamos pegar trânsito ao cruzar Vitória e Vila Velha.

Passando perto de Serra, pouco depois de Vitória, vimos o primeiro acidente da viagem, entre um Celta e um caminhão cegonha.

E a estrada seguia, no norte do Espírito Santo há retas intermináveis na BR101, trechos com eucaliptos e outros com muita cana-de-açúcar. Passamos por AracruzLinhares. Em linhares encontramos esse caminhão dirigido por um cara que certamente é do time que grita “Toca Raul!”

E por volta das 17h30 chegávamos à Bahia, estado com o maior t recho da viagem. Da divisa até Itabuna, nosso objetivo nesse dia, restavam ainda cerca de 470 km.

Uma boa surpresa foi a repentina melhora da rodovia, o que acabou sendo bastante animador. Asfalto mais novo, boa sinalização. Sim, continuavam os motoristas irresponsáveis de sempre, mas pelo menos com a estrada não teríamos que nos preocupar tanto.

No sul da Bahia passamos por Teixeira de Freitas, Eunápolis e Porto Seguro. Nesse ponto começava o trecho que nunca havíamos percorrido, já que em 1999 nós (pai, mãe, irmã e eu) fomos até Porto Seguro (em termos de BR101, Eunápolis, já que a via de acesso para Porto Seguro sai dessa cidade).

Destaques da região: plantações de cacau visíveis nas margens da estrada, alguns casarões bem antigos, muitos deles abandonados. E a noite caindo, antes do que gostaríamos, mesmo com a hora que ganhamos por não haver horário de verão na Bahia. (Passamos por Eunápolis 19h10).

Chegamos em Itabuna bem mais tarde do que gostaríamos (21h52). Procuramos o hotel em que estava feita a reserva (grande GPS, apesar de demorar pra achar os satélites, quebrou um galho) e quando encontramos rolou um momento tenso. Coisas estranhas como a recepção do hotel Portugal (22h35) fica em outro hotel, teria que ter reservado vaga no estacionamento e se quiséssemos que alguém vigiasse o carro teríamos que dar um troco para algum vigia na rua.

Tá bom então. Deixamos o cidadão falando abobrinhas e partimos em busca de outro hotel. Às 23h50 finalmente conseguimos o hotel Royal, com estacionamento! (apesar de sombrio). Não era lá essas coisas, mas no estado que estávamos, o importante era ter um banheiro limpo e uma cama.

(Continua, espero demorar menos para a próxima parte =D )

======

~1576 km percorridos, faltavam 1100 km

Anselmo: 500 km (dia 1: Pinda, SP - Macaé, RJ) + 290km (Linhares, ES - Itamaraju, BA) = 790 km

Antonio: 479 km (Macaé, RJ - Linhares, ES)+ 307km (Itamaraju, BA - Itabuna, BA) = 786km

Comments