anselmolsm.org

Operação Boa Viagem - parte 4 (final!)

| Comments

Antes que acabe o ano!!

Neste post, os dois trechos finais da viagem entre Pindamonhangaba, SP e O Recife, PE realizada em Janeiro de 2009. Os demais trechos estão em Parte 1, Parte 2 e Parte 3.

Trecho percorrido no dia 3 de Janeiro: de Itabuna, Bahia até Maceió, Alagoas - 880 km.

Até Itabuna, a viagem seguiu dentro do esperado. Distância a ser percorrida era aproximadamente a mesma percorrida entre Macaé e Itabuna (cerca de 1100 km), assim parecia possível terminar a viagem no mesmo dia. É claro que dependia muito da gloriosa BR-101 colaborar.

Itabuna
Itabuna

Saindo de Itabuna, ao som da “Gabriela FM” (por causa da Gabriela do Jorge Amado mesmo), coisas curiosas como anúncio “Cala a Boca R$6,00”… depois de uma série de informações desencontradas para voltar à BR101, finalmente às 9h40 a viagem recomeçou de verdade.

O trecho baiano (Pq Bahia tem “h” e baiano não?) que já vinha bem no sul do estado, seguiu muito bom.  Vimos Salvador passar, representada em uma das placas indicando a saída para a capital baiana, e seguimos a viagem rumo a Sergipe. Vale lembrar que de Itabuna à divisa BA | SE são cerca de 500 km.

Aqui o trânsito parava pra galera comprar coisas, no meio da estrada.
Aqui o trânsito parava pra galera comprar coisas, no meio da estrada.
Santo Antônio de Jesus - O comércio mais barato da Bahia
Santo Antônio de Jesus - O comércio mais barato da Bahia

Apesar da boa condição da estrada, muito trânsito nesse trecho, com muitos, muitos caminhões. Filas enormes de carros eram formadas, ultrapassagens eram complicadas e uma quantidade enorme de motoristas fazendo verdadeiras loucuras na estrada - Em certo trecho vimos à nossa frente lado-a-lado, 1 caminhão grande, 1 caminhão médio e 1 carro.

  • ”- A BR101 é duplicada nesse trecho?”   -  Não.
  • ”- Mas eram quantas faixas no sentido Norte?” - Uma. Sim! O terceiro componente da cena citada estava no acostamento da contra-mão.

Paramos no posto Delícias do Sul, em Alagoinhas (14h10), serviu pra explicar bastante o caos presenciado na estrada. Apesar de alguém no planalto central ter dito que é proibido comércio de bebidas alcoólicas em rodovias federais, nos 15 minutos que ficamos no estabelecimento foi um festival de motoristas alternando vinho e/ou cachaça.

Esplanada
Esplanada

E veja nessa foto o que encontramos! Tubos da Tenaris Confab (onde meu pai trabalha) hehe. Aliás, foram vários encontros desses pelo caminho.

Itabuna - Maceió
Itabuna - Maceió

Passamos pela divisa BA | SE às 16h.

Com esse conjunto de fatores, a viagem atrasou bastante - houve trecho com velocidade média de 50 km/h. Já anoitecia quando chegamos em Aracaju onde, para ajudar, a BR101 tem um traçado curioso. Foi a primeira vez que presenciei a necessidade de sair da estrada para seguir nela mesma… Seguimos reto e caimos dentro da cidade, daí deu pra tirar essa foto da capital Sergipana até acharmos um retorno.

Aracaju
Aracaju

Após uma rápida parada no posto Presidente, na nossa volta à BR101, a noite já dava as caras e restavam 496 km até Recife. O relógio marcava 17h50 (lembrando que no nordeste anoitece mais cedo), chegaríamos um tanto tarde. Decidimos então ir até Maceió,  263 km e completar a viagem na manhã seguinte.

Com os atrasos e o anoitecer, perdemos uma das mais aguardadas fotos da viagem, na ponte sobre o rio São Francisco, na divisa SE | AL =(  … só vimos a ponte. (Isso por volta de 19h30).

E a estrada, como estava? Norte de Sergipe: ruim. Entramos em Alagoas, esperanças de melhores condições e, piorou… ficou bem claro que a decisão de ir “só” até Maceió era mesmo o melhor a fazer.

Saímos da BR101 e tomamos uma rodovia estadual (AL216) que estava melhor que a federal e que passa no meio de canaviais sem fim, com movimentação quase que exclusivamente de treminhões àquela hora. Olhando no mapa, dava pra termos saido da BR101 depois, mas no fim deu certo =) .

Monumento Teotônio Vilela, Maceió
Monumento Teotônio Vilela, Maceió

Na chegada a Maceió (22h10), precisávamos de um lugar para dormir - era uma parada não esperada, portanto não tinhamos reserva alguma. Bom, em se tratando de uma capital turística isso não parecia ser um problema, bastava apenas encontrarmos os hotéis. Depois de ficarmos perdidos na cidade, achamos os hotéis. Lotado, lotado, lotado… até que finalmente achamos um hotel - Ouro Branco. Estranho mesmo era a cidade com hotéis lotados e com ruas vazias às 22h e tantos de um sábado. Para achar um lugar para comer, precisamos da ajuda do recepcionista do hotel que ligou para um restaurante (Imperador dos Camarões - veja você, eu sou alérgico a camarão ehhe) para que ele ficasse aberto por mais um tempo. Situação curiosa da noite, pagamento em cartão tinha que ser feito na porta de entrada do restaurante porque a máquina, via GPRS, não conseguia sinal para operar de dentro do estabelecimento.

Maceió - Recife
Maceió - Recife

Na manhã do domingo, 4 de Janeiro, pudemos ver um pouco das praias de Maceió.

Praia de Pajuçara
Praia de Pajuçara

Seguindo a viagem, não voltamos para a BR101 e seguimos pelas estradas estaduais beirando o mar. Muito trânsito para sair de Maceió devido à movimentação dos turistas, mas depois estrada bastante tranquila. E nessa tranquilidade fomos parados, pela primeira vez em toda a viagem, por uma Polícia Rodoviária (a Estadual de Alagoas). Verificação de documentos, nada demais.

Uma parada para uma água...
Uma parada para uma água…
Inclusive demos água apra este simpático ser =)
Inclusive demos água apra este simpático ser =)

Coqueiros, coqueiros, coqueiros… passamos por Maragogi e enfim, 12h11, a divisa AL | PE!

AL | PE
AL | PE

Seguindo pela PE-060, por volta da hora do almoço (que nos últimos dias passava em branco), resolvemos almoçar em Porto de Galinhas - 13h22 =) . Em 2008 estive lá para o Bossa Conference, daí conheci um pouco da vila (é, a cidade mesmo chama Ipojuca, quem já andou pela PE-060 já viu as n placas da prefeitura reafirmando isso) e levei meu pai e Priscila para comer no restaurante Barcaxeira. Comemos, compramos lembrancinhas, fotos e voltamos pra estrada (15h30) antes que o trânsito do final do feriado nos atrapalhasse.

Lá pelas 16h e alguma coisa, chegamos ao Recife! Praia de Boa Viagem por volta de 16h30 =)

Esse último dia acabou estendendo-se mais que o esperado pois resolvemos passear um pouco, até para que meu pai pudesse aproveitar um pouco pois tinha voo de volta marcado já para a noite de domingo. O importante foi que chegamo

s bem, não tivemos problemas sérios na viagem, brigamos um pouco, rimos muito, caímos em algumas roubadinhas, demos relativa sorte em outros momentos. Demorou, mas no fim compensou termos vindo de carro e não de avião =)

Para terminar, números:

Quilômetros dirigidos:

Anselmo : ~790km + ~460km (dia 3) + ~58 km (dia 4) = ~1308 km

Antonio (aka Pai) : ~786km + ~347km (dia 3) + ~179km (dia 4) = ~1312 km

Priscila : 0 km (mas dormiu bastente =)

Total (anotado) de aproximadamente 2620 km, contra os 2668km segundo o Google Maps para o caminho que fizemos. Os km faltantes a gente pode dizer que foi de piloto automático. Bom, em algum momento eu confiro as anotações pra ver onde eles sumiram =)

~ 190 litros de álcool

~14 km / L  (usando 2668 km)

Comments